RESVERATROL MELHORA SIGNIFICATIVAMENTE O CONTROLE DA GLICEMIA E A SENSIBILIDADE À INSULINA EM INDIVÍDUOS COM DIABETES

.
"Resveratrol melhora significativamente o controle da glicemia e a sensibilidade à insulina em indivíduos com diabetes, mas não afeta as medidas de glicemia em indivíduos não diabéticos", assim conclui uma metanálise publicada na revista The American Journal of Clinical Nutrition, que visou avaliar quantitativamente os efeitos do resveratrol sobre o controle da glicemia e sensibilidade à insulina.


Seus autores rastrearam ensaios clínicos aleatórios que estimaram os efeitos do resveratrol sobre o controle da glicemia e sensibilidade à insulina e que foram publicados até março de 2014, a partir dos bancos de dados PubMed, Embase, MEDLINE, e Biblioteca Cochrane. Foram selecionados para análise todos os estudos que preencheram os seguintes critérios: 1) os participantes ingeriram resveratrol por período ≥ 2 semanas; 2) o estudo seguiu desenho clínico aleatório em humanos, paralelo ou cruzado (crossover); 3) os valores iniciais e finais de glicemia em jejum, insulina, hemoglobina glicada (HbA1c) e resistência à insulina medida por HOMA-IR (ou as suas diferenças) estavam disponíveis para cada grupo em estudo; 4) o resveratrol não foi administrado como parte de um suplemento de multicomponentes, como uva, suco de uva, ou vinho e 5) o estudo utilizou um grupo controle concomitante para o grupo de intervenção com resveratrol e a única diferença entre esses grupos foi o resveratrol. A qualidade dos estudos foi avaliada por escala de Jadad que atribui até 5 pontos, obtidos em atendimento aos seguintes critérios: 1) aleatorização da amostra; 2) intervenção duplo-cega, 3) comunicação do número de desistências e as razões para a retirada de pacientes, 4) ocultação de alocação, e 5) geração de números aleatórios.

Onze estudos com um total de 388 indivíduos foram incluídos. Através da aplicação de um modelo estatístico sofisticado, os dados totais e estratificados em indivíduos diabéticos (diabetes mellitus tipo 2) e não diabéticos revelaram que o consumo de resveratrol reduziu significativamente níveis de glicose em jejum, insulina, hemoglobina glicada e resistência à insulina em indivíduos com diabetes. Nenhum efeito significativo do resveratrol foi encontrado sobre a glicemia de indivíduos não diabéticos. Além disso, os efeitos combinados do resveratrol sobre a glicemia em jejum e concentrações de insulina em participantes não diabéticos não foram afetados pelo índice de massa corporal, desenho e duração do estudo, dose de resveratrol ou pontuação Jadad.

Apesar do número relativamente maior de participantes reunidos na metanálise fornecer maior potência estatística para avaliar o efeito da intervenção com resveratrol, ela apresenta algumas limitações que incluem períodos de intervenção mais curtos do que 3 meses em metade dos estudos incluídos; variação da qualidade dos estudos incluídos entre baixa a alta (apenas 5 estudos foram classificados como de alta qualidade); e impossibilidade da análise de interação entre medicamentos administrados e o tratamento com resveratrol, devido à informações incompletas nos estudos incluídos. "Mais ensaios clínicos aleatórios bem desenhados e com duração superior a 3 meses são necessários para confirmar os efeitos do resveratrol no controle da glicemia e sensibilidade à insulina. Além disso, esses efeitos serão mais convincentes se os estudos efetivamente oferecerem dados que possam descartar o potencial efeito de confusão do uso de medicamentos", complementam os autores.

Fonte
Nutritotal

Referência(s)

Liu K, Zhou R, Wang B, Mi MT. Effect of resveratrol on glucose control and insulin sensitivity: a meta-analysis of 11 randomized controlled trials. Am J Clin Nutr. 2014;99(6):1510-1519.