INTRODUÇÃO PRECOCE DE ALIMENTOS

.

O aleitamento materno exclusivo é recomendado até os seis meses de idade, por possuir todos os nutrientes em quantidades necessárias ao bom crescimento e desenvolvimento infantil. A oferta de outros alimentos nessa fase pode prejudicar a criança, devendo ocorrer apenas com orientação médica e nutricional.

Porém estudo recente objetivou avaliar a influência regional no consumo precoce de alimentos diferentes do leite materno em menores de seis meses residentes nas capitais brasileiras. De acordo com os resultados, o consumo de leite artificial foi maior quando comparado aos demais alimentos em todas as capitais. As capitais do Sul apresentaram maior consumo de chá e as do Nordeste e Sudeste, o consumo de outros tipos de leite e de suco. Nas capitais do Nordeste, o consumo precoce de mingau/papa foi maior.


Outro estudo foi desenvolvido com o objetivo de investigar a adequação das práticas alimentares no primeiro ano de vida e seus fatores associados na cidade de Porto Alegre. De acordo com os resultados, a prevalência de aleitamento materno exclusivo foi de 47,1% entre as crianças com até quatro meses de vida e de 21,4% entre as crianças entre quatro e seis meses. A frequência de aleitamento materno exclusivo foi maior entre as crianças que não usavam chupeta, que não eram primogênitas e cujas mães não trabalhavam fora de casa ou estavam em licença maternidade. Melhores práticas de alimentação complementar foram observadas em crianças cujas mães tinham maior nível de escolaridade e trabalhavam fora de casa.

Os dados dos estudos evidenciam a influência de cada região no consumo precoce de alimentos e fatores de risco para o desmame precoce. Desse modo, políticas públicas devem ser realizadas com o objetivo de preservar o aleitamento materno exclusivo, de acordo com a região e população de risco ao desmame.

Fontes:

Silvia Regina Dias Medici Saldiva; Sonia Isoyama Venancio; Ana Gabriela Cepeda Gouveia; et al. Influência regional no consumo precoce de alimentos diferentes do leite materno em menores de seis meses residentes nas capitais brasileiras e Distrito Federal. Cad. Saúde Pública vol.27 no.11 Rio de Janeiro Nov. 2011.

Paula Dal Bó Campagnolo; Maria Laura da Costa Louzada; Elizabeth Lemos Silveira; et al. Práticas alimentares no primeiro ano de vida e fatores associados em amostra representativa da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Rev. Nutr. vol.25 no.4 Campinas July/Aug. 2012.