O QUE VAI SER DOS PROFISSIONAIS DE NUTRIÇÃO?

           Hoje, acordei de madrugada, perdi o sono refletindo sobre a vida e o futuro. Vi meus pequenos filhos dormindo calmamente. Pensei em como será o futuro de cada um deles, e pensei na situação difícil que passa ou então irão passar os profissionais em nosso Estado. Baixíssimos salários, a falta de valorização, pouca motivação, a concorrência desleal de outros profissionais como os economistas domésticos (curso que está em extinção no nosso país! - Graças a Deus!), engenheiros de alimentos, que concordam em aceitar um salário de fome, do qual os nutricionistas não aceitam. Por qualquer novecentos reais, mil ou até menos, você contrata qualquer um destes - Até parece prostituição profissional - coisa que os nutricionistas não estão mais se submetendo. Sabemos da importância fundamental da nutrição na vida do ser humano. Sabemos como a alimentação é importante fator na prevenção e tratamento de várias doenças. Isto não se discute. É tão importante que até os médicos querem exercer atribuições privativas do profissional Nutricionista.
.
          A desvalorização começa com os empresários do ramo de alimentação coletiva que não valorizam o profissional. E não escapa nenhum, todos são assim! Pagam uma miséria e cobram muito! Prometem muito na hora de contratar e nada fazem, demitem na hora que querem, usam e abusam do nosso profissionalismo e depois que conseguem o que querem, jogam fora como chiclete usado. Pagam a nossa rescisão com cheque sem fundo, não pagam hora extra e por aí vai (que o diga uma empresa existente no mercado, que mereceria o troféu de grande enganador do ano, uma verdadeira vergonha, pois nutricionista que se preze e que tenha o mínimo de amor próprio, jamais aceitaria a situação humilhante a que é submetido neste local).
.
        Todos os nutricionistas de nosso Estado deveriam estar a par do que acontece nesta empresa e jamais aceitar trabalhar neste local. Infelizmente uma experiência traumática para mim!
.
         Então me pergunto, onde está o Órgão que nos regulamenta e fiscaliza a nossa profissão? Inerte. Ausente. Mudo. Quando os outros atentam contra a nossa profissão, nada se faz. Mas quando um nutricionista transgride alguma resolução, rapidamente aparece, aí lá vem comissão de ética, audiência, intimação, punição, etc. O Nosso sindicato está aí, ressurgindo, lutando. O órgão aparece só aparecer na hora de se pagar a anuidade.
.
        O que me preocupa é que antigamente, só tínhamos a UECE como formadora de profissionais de Nutrição. Porém, de uma época recente para cá, pipocou os vários cursos de nutrição em nosso Estado: UNIFOR, FIC, FANOR entre outras. São muitos profissionais sendo despejados no mercado todos os anos. E aí vem a pergunta: Será que temos mercado suficiente para absorver todo este volume, se ainda estamos despontando como profissão? Muita gente ficará desempregada ou se submetendo a salários aviltantes para não ficar desempregado. E não adiante ficar com este papo de recém formado, pois temos que procurar ser bons, nos valorizar. Será que adianta estudar tanto para ficarmos assim? E os que passaram quatro ou cinco anos de um curso pago, sacrificando mundos e fundos, será que terão o retorno que esperam?



Bom, o dia já amanheceu! Fica aqui a reflexão!





Emmanoel F. Gomes – Nutricionista


Email: efgomesce@yahoo.com.br