POR QUE DIETAS ENTERAIS PARA SONDA POSSUEM GORDURAS SATURADAS?

A gordura saturada presente nas dietas enterais é composta por triglicerídeos de cadeia média (TCM). Os TCM presentes nessas dietas são extraídos industrialmente por conterem a melhor seleção de ácidos graxos, principalmente os ácidos caprílico (C8:0; 67%) e cáprico (C10:0; 27%).
A American Heart Association (AHA), 2006, recomenda que os indivíduos devem ingerir < 7% de gordura saturada. Isso porque a ingestão excessiva de gorduras saturadas é considerada prejudicial à saúde, devido ao aumento de risco de doenças cardiovasculares. No entanto, as gorduras saturadas são bastante heterogêneas em sua natureza e, dependendo do tamanho da cadeia do ácido graxo, apresentam diferentes efeitos na saúde.

Os ácidos graxos podem ser classificados, de acordo com o grau de saturação, essencialidade e o número total de carbonos. De acordo com o tamanho da cadeia, os ácidos graxos podem ser de cadeia curta (AGCC – 2 a 4 carbonos), cadeia média (AGCM – 6 a 12 carbonos) e cadeia longa (AGCL – 14 a 22 carbonos). O grau de saturação é determinado pelo número de duplas ligações, podendo ser saturados (sem duplas ligações), monoinsaturados (apenas uma dupla ligação) e poli-insaturados (mais de uma dupla ligação).
A razão da presença de triglicerídeos de cadeia média em dietas enterais é devido aos seguintes benefícios:
1. A biodisponibilidade digestiva dos TCM é maior que a dos TCL (triglicerídeos de cadeia longa), pois possui menor peso molecular comparado aos TCL, o que confere maior hidrosolubilidade, facilitando o processo digestivo, absortivo e de transporte ao fígado.
2. A absorção dos AGCM pode ocorrer de maneira independente da secreção pancreática.
3. Os TCM são considerados fonte rápida de energia, pois ao contrário dos TCL, não são significativamente incorporados em lipoproteínas (quilomícrons e VLDL [lipoproteína de muito baixa densidade]), sendo absorvidos diretamente na corrente sanguínea pela circulação portal. Por outro lado, os AGCL após serem absorvidos nos enterócitos são incorporados à apolipoproteinas, fosfolipídios e colesterol, formando quilomícrons, atingindo assim a circulação via sistema linfático, processo considerado mais lento.
4. A taxa de oxidação dos AGCM é maior e mais rápida que dos AGCL e apresentam menor densidade calórica (8,2-8,3 kcal/g).
Portanto, os TCM, que são gorduras saturadas, possuem propriedades específicas no metabolismo e o seu uso é seguro na prática clínica de terapia nutricional oferecendo benefícios adicionais quando comparados aos TCL. Os estudos científicos sugerem que deve ser feita distinção quando se discute os efeitos das gorduras saturadas, nos quais nem todos os tipos parecem conferir malefícios à saúde.

Autor:


Bibliografia (s)
 American Heart Association Nutrition Committee, et al. Diet and lifestyle recommendations revision 2006: a scientific statement from the American Heart Association Nutrition Committee. Circulation. 2006;114(1):82-96.
Torrinhas RSMM, Campos LN, Waitzberg DL. Gorduras In: Waitzberg DL. Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clínica. São Paulo: Atheneu. 2009. p 121-47.
Labarthe F, Gélinas R, Des Rosiers C. Medium-chain fatty acids as metabolic therapy in cardiac disease. Cardiovasc Drugs Ther. 2008;22(2):97-106.
Traul KA, Driedger A, Ingle DL, Nakhasi D. Review of the toxicologic properties of medium-chain triglycerides. Food Chem Toxicol. 2000;38(1):79-98.