CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ANUIDADE 2019



O Conselho Federal de Nutricionista (CFN), no uso de suas atribuições, estabeleceu os valores para anuidades 2019, conforme Resolução do Sistema CFN/CRN, nº 609, de 25 de setembro de 2018. Para nutricionistas da 6ª Região, o Federal estabelece os valores de R$ 403,78. Já para os técnicos de Nutrição e Dietética, o valor é de R$ 201,89.  Os valores para pessoa física foram reajustados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) projetado para 2018 de 4%.
As anuidades podem ser pagas em cota única até o dia 30 de junho de 2019. O documento ainda prevê a possibilidade de parcelamento da cota em 5 parcelas mensais, com vencimentos no ultimo dia dos meses de janeiro, março, abril, maio e junho. Já para quem optar por pagar em cota única até o dia 31 de janeiro terá o valor reduzido, passando para o valor de R$ 363,40 , para nutricionistas, e R$ 181,70 , para técnicos em nutrição e dietética.
Para as Empresas, os valores de anuidade também foram reajustados. O valor cobrado em 2019 para microempresas, empresas de pequeno porte e demais pessoas jurídicas enquadradas no regime tributário do Simples é de R$ 565,02. Já para as demais pessoas jurídicas, o valor varia conforme capital social.
O pagamento das anuidades das pessoas jurídicas terá desconto de 5% se efetuado em cota única até o dia 31 de janeiro. A anuidade poderá ser paga, sem desconto e sem acréscimo, em cota única até o dia 31 de março de 2019. Você também pode dividir o valor em cinco parcelas, mensais e consecutivas, com vencimento no último dia dos meses de janeiro, fevereiro, março, abril e maio de 2019.
É importante lembrar que a anuidade é devida a partir de 1º de janeiro de cada ano, podendo a mesma ser cobrada proporcionalmente, em razão do mês de registro do profissional.
Se você não recebeu o boleto, pode imprimi-lo no autoatendimento. Para isso, antes de logar com sua senha, clique na opção “Reemitir Boleto”. Preencha o seu número de inscrição e clique em listar. Aparecerão duas opções de boletos.
Caso deseje parcelar, você deverá entrar no sistema e clicar na opção emitir boleto.

JEJUM INTERMITENTE PODE MELHORAR PARÂMETROS CARDIOMETABÓLICOS MESMO SEM PERDA DE PESO?

.

Jejum intermitente pode melhorar a saúde cardiometabólica, no entanto, não se sabe se esses efeitos são devidos exclusivamente à perda de peso. Por este motivo, Sutton e colaboradores realizaram estudo para determinar se o jejum prolongado pode melhorar a saúde cardiometabólica e se estes benefícios dependem da perda de peso e ingestão alimentar.

Foi realizado um estudo randomizado cross-over com ingestão de calorias e tempo de jejum controlados em homens com pré-diabetes. Os participantes passaram por dois tipos de alimentação: em um primeiro momento eles realizavam 6 horas de alimentação e ficavam 18 horas em jejum (eTRF) e em um outro momento realizavam um período de 12 horas de alimentação e 12 horas de jejum (TRF), ambos durante 5 semanas; entre essas duas intervenções, eles passavam por um período de washout de 7 semanas. Durante as fases de intervenção, os indivíduos ingeriram somente alimentos fornecidos pelos pesquisadores para manutenção do peso e redução de vieses. Foram avaliados: tolerância glicêmica, insulina pós prandial e sensibilidade à insulina após 3h da realização do teste oral de tolerância à glicose. Também foram avaliados fator de risco metabólico, marcadores inflamatórios e estresse oxidativo. Os resultados dos dois momentos foram comparados entre si para avaliação dos efeitos sobre os participantes.

A manutenção do peso foi similar em ambos os períodos da intervenção. Após o período mais restrito de jejum, não houve alteração dos níveis de glicemia. Entretanto, houve redução da insulina de jejum e dos níveis de insulina com 60 e 90 minutos após o teste oral de tolerância a glicose. Observou-se, também, melhora da responsividade das células beta, redução da resistência insulínica, e das pressões sanguíneas sistólica e diastólica. O eTRF aumentou os níveis de triglicérides em jejum, reduziu os níveis plasmáticos de marcadores de estresse oxidativo, porém não afetou marcadores inflamatórios. O eTRF também reduziu a vontade e a capacidade de comer a noite.

Os autores concluíram que 5 semanas de eTRF melhoraram parâmetros cardiometabólicos em homens com pré-diabetes - mesmo com manutenção de peso e ingestão de alimentos controlada em ambos os grupos.

Fonte:
Nutritotal
Referência:
Sutton EF et al. Early Time-Restricted Feeding Improves Insulin Sensitivity, Blood Pressure, and Oxidative Stress Even without Weight Loss in Men with Prediabetes. Cell Metab. 2018 May 8.